Como montar um mini mercado

Como montar um mini mercado
Então você está querendo saber como montar um mini mercado na sua cidade? Pois bem, esse pode ser um dos pequenos negócios mais interessantes para investir atualmente, principalmente, se você mora em uma cidade de pequeno porte ou deseja focar exclusivamente em um bairro da cidade.
Naturalmente esse tipo de negócio não traz os mesmos resultados que supermercados mais completos, pois o foco principal de um mini mercado é no atendimento momentâneo de uma necessidade no bairro. Então não se preocupe em criar algo muito grande, pois os resultados podem não ser tão satisfatórios a ponto de suprir os gastos mensais.


Como montar um mini mercado?
Inicialmente o que você vai precisar para entender como montar um mini mercado é de uma pesquisa de mercado. Através dessa avaliação será possível entender as reais necessidades das pessoas naquela localidade, saber se terá alguma chance de sucesso, os tipos de produtos que a população mais necessita e a concorrência que terá pela frente.

A partir desse momento você já terá uma noção básica e poderá criar suas próprias ideias para montar um mini mercado futuramente. Caso tenha alguma duvida com relação a esse processo, o mais indicado é que procure um profissional do ramo ou mesmo o ponto do Sebrae na sua cidade para pedir orientação e saber os procedimentos legais para abrir seu novo mini mercado.

A estrutura de um mini mercado
O ponto comercial onde irá se instalar, assim também como a organização do local, será algo de suma importância para elevar suas vendas e mesmo que você esteja querendo saber como montar um mini mercado esse será um fator muito recomendado para começar com o máximo de eficiência.
O ideal é que esse local onde irá montar um mini mercado seja em uma rua bem movimentada do bairro e de fácil acesso, pois esses são pontos favoráveis na hora de ganhar a clientela. No entanto, se já existe grandes supermercados nas proximidades, o melhor a fazer é tentar encontrar outro lugar onde possa se instalar, porque um mini mercado dificilmente vai conseguir bater de frente com grandes concorrentes como esse.

Investimento inicial para abrir um mini mercado
O investimento inicial para montar um mini mercado na sua cidade vai ficar basicamente por conta da organização do local, da compra de expositores, pequenas mesas, um freezer grande, prateleiras e outros equipamentos básicos que serão indispensáveis para a montagem correta de um pequeno mercado desse tipo.

Se tratando de dinheiro, o seu gasto para começar seu próprio empreendimento vai ficar em torno de R$ 30 a R$ 40 mil Reais. Uma grande parte desse gasto vai ficar por conta da compra dos produtos que serão vendidos no mini mercado, porém esses valores podem ser bem maiores, dependendo da quantidade de produtos que deseja colocar a venda.


O que vender em um mini mercado?
Se fossemos listar aqui tudo o que poderá colocar a venda após montar um mini mercado, com certeza a lista seria muito grande, mas de um modo geral, o seu foco deverá ser em produtos alimentícios e utensílios necessários para o dia a dia. Veja abaixo uma pequena lista do que poderá vender no seu novo mini mercado:

  • Vender alimentos tradicionais (feijão, arroz, macarrão, farinha, sal e outros produtos comuns)
  • Vender utensílios (barbeadores, pilhas, conservas, etc)
  • Vender doces
  • Bebidas
  • biscoitos variados
  • E muito mais

Lógico que tudo isso são só alguns dos produtos mais comuns que poderá adquirir para vender no seu próprio mercadinho. O que indico, caso não tenha ideias de produtos para vender, é que pesquise em outros mini mercados desse tipo e verifique quais os produtos que estão sendo vendidos ali, assim também como os que não tem e que poderá colocar a venda.

Divulgação de um mini mercado no bairro
Ao montar um mini mercado também existirá a necessidade de divulgar o negócio para tentar chegar ao maior número de clientes possível. Além disso, uma boa divulgação local pode ajudar muito a criar uma marca conhecida e dar aquele destaque que seu mini mercado tanto precisa.
Essa divulgação deve começar por meio da publicidade boca a boca, não porque essa é a forma mais fácil, mas porque é a mais eficiente para novos negócios desse tipo. Claro que você não precisará ficar somente nela, já que o mercado nos oferece uma vasta quantidade de opções, como a panfletagem, os anúncios em rádios, jornais ou mesmo na internet. O que deverá levar em consideração, realmente, é o meio que melhor atinge o seu publico alvo.

Vale a pena montar um mini mercado?
Montar um mini mercado é algo de baixo investimento, mas que tem foco em um único bairro, é algo que poderá gerar um bom dinheiro, mas que também poderá sofrer com a concorrência de grandes supermercados. E afinal, vale a pena ou não abrir um mini mercado de bairro?
O certo é que não será nada fácil dizer se vale a pena ou não investir nessa oportunidade de negócio, pois existem muitos fatores a se analisar e que só uma boa pesquisa de mercado irá poder definir. Então na minha simples opinião, vale a pena sim montar um mini mercado de bairro, desde que existam pessoas interessadas e necessitadas dos produtos que serão vendidos.
Comece analisar desde já para conseguir iniciar seu novo negócio. Espero que tenha entendido o básico sobre como montar um mini mercado e agora é só começar planejar como será o começo desse novo empreendimento.

fonte;http://www.montarumnegocio.com/como-montar-um-mini-mercado/

Como montar uma escola de informática

 Como montar uma escola de informática

Confira neste artigo algumas das etapas básicas de como montar uma escola de informática e ser bem sucedido em seu empreendimento. 
Hoje em dia, montar escolas e cursos é um excelente empreendimento e o segmento de ensino de informática tem se tornado um dos mais lucrativos do mercado. Há alguns anos estimava-se que houvesse uma queda e não um aumento de alunos em tais escolas baseando-se no fato de que a maioria das pessoas está comprando o seu próprio computador. Isso não aconteceu e tais escolas apenas tendem a crescer em número de alunos e unidades, bem como em estrutura.
Apesar do aumento do número de escolas de informática, este segmento ainda tem muito a oferecer e pode ser bem lucrativo, pois ainda existem muitas pessoas interessadas. A necessidade do conhecimento de informática para conseguir emprego ou para lazer também é mais um motivo para tais cursos avançarem, podendo ser um bom investimento para o proprietário, com uma excelente capacidade de retorno, mesmo com um alto investimento em jogo.
Concorrência de uma escola de informática
A sua concorrência não é das menores, partindo tanto de pequenas, como médias e grandes escolas. Hoje em dia existem em atuação neste mercado grandes franquias nacionais concorrendo diretamente com pequenas escolas de bairro e cursos regionais, mas em sua maioria não incomodam o público cada vez mais crescente.
Alguns estudiosos do mercado acreditam que são também seus concorrentes a própria Internet com cursos online para o setor, mas não é algo que realmente preocupe um ensino em curso de informática. A maioria das pessoas prefere o ensino em formato tradicional, em sala de aula, uma forma também de otimizar os resultados e garantir que todas as dúvidas sejam sanadas. É também uma forma de obter certificação confiável, o que a maioria dos sites não oferece.
A boa notícia é que seu público-alvo é bem amplo e isso faz com que a concorrência se dissolva um pouco, pois em teoria há mercado para todos. São seu público adolescentes, adultos, profissionais já formados e também não formados em busca de conhecimentos de informática ou um conteúdo exclusivo para acrescentar ao currículo, o que pode englobar jovens de 15 até adultos de 70 anos ou mais. Como ter conhecimento em informática é básico para o currículo, a gama de alunos que procura tais escolas a cada novo semestre sempre tende a aumentar.

Estrutura para montar uma escola de informática
Um empreendimento deste segmento nada mais é que uma escola e por isso, basta visualizar uma para ter em mente o que será preciso providenciar. Aqui são dispensadas cadeiras com mesa inclusiva ao estilo carteira de escola, basta apenas a mesa com cadeiras separadas, para acoplar o computador. São mesas de escritório usadas para sala de aula, compradas prontas ou enviadas por encomenda, o que pode sair mais em conta se forem feitas grandes banquetas para três ou quatro computadores lado a lado.
Salas com computador precisam de climatização com uma temperatura mais amena e por isso, é recomendado o uso de ar condicionado em todas as salas. É uma forma de manter o ar limpo, frio e não danificar os computadores, que quando submetidos ao calor podem ter seus componentes apresentando defeitos.
Se pensar em ter turmas variadas, melhor ter ao menos três salas prontas. Uma boa quantidade é ter 15 alunos por turma, ou seja, quinze computadores para alunos e um para professor, mas as turmas podem ser menores, dependendo do tipo de curso oferecido. Será preciso também um projetor para que os alunos vejam exatamente o que está sendo feito em tela, um projetor para cada sala e também uma lousa para uso com caneta piloto para as explicações mais detalhadas. O básico ainda está em itens como recepção para atendimento dos alunos, sala para administração, banheiros e bebedouros.
O ideal é escolher uma casa ou um edifício que já tenha sido uma escola para montagem de uma escola de informática. Partir do zero vai requerer um pouco mais de trabalho e custo para montar todos os itens básicos, o que vai subir bastante o custo do capital inicial investido. Uma boa dica é partir em busca de uma casa ampla, que pode oferecer um bom terreno, bem como aproveitamento máximo do espaço para montar a sua escola de informática em pequenos detalhes como banheiro, energia e estacionamento. A localização pouco influi na estrutura, desde que seja um ponto de grande fluxo de pessoas para ser um ambiente seguro para as pessoas irem e virem nos três turnos.

Capital inicial para montar uma escola de informática
Estima-se que o valor inicial a ser usado é de em média R$ 150 mil com a compra de computadores novos, reforma do imóvel e também contratação de professores. Estima-se que o valor investido deva retornar em menos de dois anos, um tempo bem hábil para o mundo dos negócios.

Cursos para oferecer em uma escola de informática
Há alguns anos tais escolas se restringiam a apenas dois tipos de cursos: montagem e manutenção de micro e informática básica. Hoje em dia estes estabelecimentos possuem tantos cursos que mais se assemelham a uma universidade do que apenas um simples cursinho de informática. Os mais procurados ainda são os citados anteriormente, mas  existem outros bem queridos pelo público que não podem faltar como edição de imagem, programas de design gráfico, criação de sites, desenvolvimento de softwares entre outros do mesmo segmento. Esses cursos agregam valor ao currículo e permitem trabalhar em casa. O de manutenção de micro continua sendo o mais procurado e encarado como uma profissão e por isso, não deve faltar.
Não se esqueça de planejar antes montar sua escola de informática!
DICA IMPORTANTE!

Independente do tipo de negócio que você deseja montar é muito importante fazer um planejamento. Contrate uma consultoria, estude em livros, escolha a opção que mais lhe agrada, apenas não arrisque suas economias em um chute!

Como montar uma auto-peça

Como montar uma auto-peça

Se você está pensando em montar uma auto-peça, saiba que este é um mercado bastante promissor.
 A indústria automobilística no Brasil cresce cada vez mais com o aumento na venda de veículos e os consumidores sempre estão à procura de peças para repor.
Mas saiba que também é um setor bastante concorrido. Para o empreendedor se dar bem é necessário uma visão de negócio e de oportunidades; oferecer um diferencial também pesa na balança.
Além disso, ter paixão por carros é uma característica comum em empreendedores que têm loja de auto-peças. Conhecer sobre a mecânica de carros é fundamental para lidar com a clientela que sempre visita o negócio e poder supervisionar os funcionários. Mas nada impede que um leigo estude, goste e aprenda com o tempo sobre carros.
Escolha bem os itens que farão parte da sua loja de auto-peças e trace um plano consistente para enfrentar os desafios da área.

Planejando a loja de auto-peças
Como montar uma auto-peça é algo que pode gerar dúvidas para muitos empreendedores. Por isso, o primeiro passo é planejar. Faça um planejamento estratégico e disponibilize tudo o que irá necessitar para construir o sonho de ter seu próprio negócio. Reúna informações e tenha todo método necessário para chegar ao seu objetivo.
Para se inspirar a fazer o seu planejamento use exemplos de negócios no ramo de auto-peças que deram certo e que tenham tradição no mercado. Analise os concorrentes e veja como funcionam os seus mecanismos de atuação e anote e registre tudo que lhe servirá como base para um negócio rentável e que tenha excelência.

Estudando o projeto da loja de auto-peças
Para se dar bem na área de auto-peças, conhecer como o mercado funciona é umas das tarefas mais importantes para o empreendedor. Todas as decisões acerca de medidas para gerenciar suas vendas e criar suas estratégias de marketing e promoção têm origem na forma como o mercado age.
Quanto mais conhecer sobre o conceito do consumidor sobre produtos e serviços de qualidade, melhor será o desenvolvimento desses itens em seu negócio. Com essas informações as suas estratégias para divulgar o seu negócio no ramo automobilístico será muito mais eficiente.
O próximo passo é checar a viabilidade do negócio. Com bases em informações sólidas e confiáveis, analise o quanto a sua empresa será auto-sustentável no mercado e monte um planejamento financeiro que dê suporte para que a empresa sempre esteja estável.
Não pense duas vezes se precisar de uma ajuda profissional para a checagem de viabilidade do projeto do seu negócio. Quanto mais profissional for a avaliação do seu negócio, melhor irá prever o futuro dela e evitar muitos imprevistos que são comuns ao se iniciar um negócio.

Construindo sua empresa de auto-peça
Depois de planejar, é preciso procurar um local para instalar o seu negócio de auto-peça. Escolha uma área de fácil acesso para os clientes e com possibilidade de estacionamento. Além disso, observe a concorrência do local desejado e tente montar sua loja de auto-peça em uma região de bastante movimento, mas onde não haja tantos negócios semelhantes ao seu. Assim, você conseguirá mais clientes e maior lucro.
Em seguida, veja a situação do imóvel na prefeitura e legalize seu negócio, abrindo firma e cadastrando na junta comercial, prefeitura e corpo de bombeiros da sua cidade. Peça ajuda de um contador para saber quais outros documentos serão necessários para a sua auto-peça.
A empresa deve ser iniciada e estar habilitada para atender aos requisitos mínimos exigidos pelo seu negócio com todas as ferramentas necessárias e com produtos e serviços definidos.
Escolha os profissionais adequados a necessidade do seu negócio e com conhecimento em peças de carro. Faça com que eles atinjam os objetivos traçados através da motivação e de uma ótima administração de equipes.

Quais produtos vender na aut0-peça?
A linha de produtos para se trabalhar em uma auto-peça é muito extensa. A quantidade e a variedade de peças e de marcas dependem do local onde a loja de auto-peça está instalada e se o empreendedor quer focar em um público-alvo mais específico, como carros de luxo ou populares.
Há regiões que somente necessitam de determinadas linhas de produtos e serviços ou linha de produtos compatíveis com os carros mais usados. Sempre é bom monitorar como está o mercado e adaptar a sua linha de produtos e serviços de acordo com a clientela.
Em uma aut0-peça, pode-se vender, por exemplo, os seguintes itens:
  • Faróis de diversos tipos e tamanhos
  • Pneus para todas as marcas de carro
  • Retrovisores
  • Bancos e tapetes
  • Freios e sistema de frenagem
  • Peças para a parte mecânica do carro
  • Peças para parte elétrica do carro
  • Baterias
  • Outros itens
A questão financeira do seu negócio
É necessário prestar atenção ao que acontece na parte financeira da empresa, caso contrário, podem aparecer surpresas desagradáveis.
Faça todo o cálculo para ter uma noção geral e ao mesmo tempo detalhada do seu fluxo de dinheiro. Se não tiver prática com planilhas, contrate um administrador ou contador para listar o total de gastos, total de compras feitas, quantidade de itens para comprar entre outras coisas.
Para montar sua auto-peça é preciso pensar em alguns gastos e investimentos:
  • Serviços básicos como fornecimento de água, de energia elétrica, gastos com Internet e similares
  • Gastos com o local onde está instalado o seu negócio, com reforma e reparos e outros relacionado com o espaço físico de sua empresa
  • Gastos com compra de produtos do estoque, itens para manutenção do local e outros
  • Gastos com contabilidade
  • Custos com recursos humanos e custos relacionados
Todo negócio precisa ter um capital de giro para reinvestir através da reposição de peças, contratação de novos funcionários entre outras coisas. Ele é importante, pois serve como reserva para o seu empreendimento contra crises, baixa de vendas, etc.
A dica para o empreendedor ter sucesso ao administrar o seu capital de giro é ter um controle rígido do que acontece financeiramente em seu negócio. Todo o dinheiro economizado, bem investido e aplicado será muito útil em épocas onde a procura pela sua loja não estiver tão boa assim.
De acordo com o local onde montar a auto-peça, sua tabela de preços terá um padrão diferente. Se estiver em uma área onde a concorrência tem um grau de competitividade é necessário conhecer os concorrentes e seus preços para oferecer um diferencial. Se explorar áreas sem muita concorrência, você pode investir em preços mais competitivos para atrair mais clientes, manter as suas contas em dia e também para gerenciar o seu negócio.
O desenvolvimento de bons fornecedores oferecerá vantagens na concorrência. Economizando ao comprar os produtos para o seu estoque sem perder de foco o preço e a qualidade, seu produto alavancará o seu negócio, principalmente quando se inicia o negócio e a conquista de clientes é necessário.

DICA IMPORTANTE!

Independente do tipo de negócio que você deseja montar é muito importante fazer um planejamento. Contrate uma consultoria, estude em livrosescolha a opção que mais lhe agrada, apenas não arrisque suas economias em um chute!

25 Bons Motivos Para Abrir Um Negócio Próprio

25 Bons Motivos Para Abrir Um Negócio Próprio

O que é preciso para ter um negócio próprio? Primeiramente vamos falar do que não é preciso. Você não precisa esperar uma eternidade para começar, não precisa fazer uma faculdade e você não precisa de um sócio.
Algumas oportunidades de negócios exigem somente conhecimento, como no caso de consultoria, prestação de serviços de eletricista ou serviço de corretagem.
O que você precisa é sair do ponto morto, engate a primeira e comece agora. Não comece abrindo o negócio. Seria como começar construir uma casa pelo telhado. Comece a fazer o planejamento, mesmo que só vá abrir o negócio daqui a um ano ou dois.
Dito isso lhe apresento 25 bons motivos para montar um negócio próprio.

1 –  Controlar Seu Próprio Destino

Esta é a parte que eu mais gosto em ter um negócio próprio. Ruim ou bom quem decide o que fazer é você, então, se algo não deu tão certo você pode rapidamente alterar a rota e medir o resultado novamente.
Em uma empresa normalmente este caminho de se descobrir o que deu errado e consertar é muito demorado. Existe toda a hierarquia e burocracia da empresa a  vencer. Algumas vezes uma informação importante nem chega aos ouvidos de quem deveria, ficando perdida no meio dos níveis hierárquicos.

2 – Escolher As Pessoas Com Quem Trabalhar

84% (Oitenta e quatro por cento) das novas micro e pequenas empresas têm até 5 funcionários.
Então saiba que você provavelmente não terá que selecionar muitas pessoas para trabalhar com você.
Mas o bom disso é que você poderá escolhê-las levando em conta suas preferências pessoais e de cada cargo é claro.




3 – Fazer o que gosta

Esta é um bom motivo para se ter um negócio próprio. Se passarmos 8 horas das 24 horas do dia no trabalho, (no meu caso passo entre 10 e 12 horas),  é um terço da nossa vida que passamos trabalhando.
Percebeu que não dá para viver fazendo o que não gosta?!
O pior de tudo isso é que você muito provavelmente nunca será bem sucedidofazendo o que não gosta!




4 – Conseguir mais agilidade

Em uma empresa própria você é que decide o que  e quando fazer. Em um sistema mais simples pelo tamanho da hierarquia da empresa, normalmente é o dono e os subordinados. Como o dono está sempre a par do que está acontecendo, é bem mais fácil tomar decisões rápidas.
Em uma empresa maior são muitas reuniões e explicações até que se chegue a um consenso.

5 – Relacionar se com as pessoas

Especialmente em cidades menores o proprietário de um negócio acaba tendo bastante envolvimento com a sociedade. É um cliente que você encontra em uma feira, no banco ou na rua e acaba por desenvolver uma amizade.
São vizinhos de lojas que se conhecem e trocam experiências do comércio. Sem falar nos funcionários que são as pessoas que vão passar o dia todo com você. Para quem gosta de gente tudo isso pode ser muito prazeroso.


6 – Devolver para a comunidade

Pode ser mesmo muito gratificante montar um negócio que gere empregos na comunidade e que de alguma maneira possa contribuir para o bem estar das pessoas.
É muito mais gratificante ainda se você mora em uma cidade pequena onde o que movimenta o comércio são os funcionários da prefeitura e trabalhadores do comércio local.
Neste caso qualquer emprego a mais ajuda a comunidade. Imagine montar uma fábrica para aproveitar recursos locais, como por exemplo, uma fábrica de polpa de frutas e gerar 20 empregos.
Além do mais o negócio pode ser muito bom, pois aproveita dois recursos “baratos” a mão de obra e as frutas da região. Mas por hora vamos manter o foco no artigo…


7 – Sentir se orgulhoso por ter criado algo sozinho

Esta parte também é fantástica. É muito bom você olhar para algo que antes estava somente na sua cabeça, saiu de você e se transformou em uma empresa real e que hoje é motivo de orgulho.
Você olha e pensa, “fui eu quem criou tudo isso”. E é este orgulho que também o mantém motivado a vencer os desafios e crescer.
.




8 – Ter mais segurança

Você pode dizer que eu estou doido.  As pessoas normalmente dizem que ter um emprego com carteira assinada é que é ter segurança. Hoje isto não é tão verdade.
Outro fator que pesa é que como empreendedor você poderá ganhar mais o que pode compensar vários anos trabalhando de carteira assinada. Eu me sinto muito mais seguro controlando meu próprio destino. Eu tomo as decisões e arco com as consequências.
Quantos de nós já tivemos um chefe ou mesmo o dono da empresa com menor preparo do que o nosso? Como você pode confiar seu destino e da sua família a uma pessoa que você não confia completamente na sua capacidade de dirigir um negócio?

9 – Ter liberdade para fazer outras coisas

A liberdade não acontece logo que você abre um negócio próprio. Na verdade no começo você provavelmente vai trabalhar mais do que no seu emprego. Isto porque você precisa colocar as coisas para funcionar, ter as pessoas certas nos lugares certos. Mas depois de tudo alinhado montar um negócio pode ser uma ótima maneira de ter mais liberdade para fazer outras coisas.

10 – Ter flexibilidade de horário

Em alguns tipos de negócios próprios, como por exemplo, na prestação de serviços com escritório em casa. Logo de começo você já pode conseguir um horário bem flexível. Você pode pensar que um negócio funcionando em casa não pode ser lucrativo. Errado.
Eu sei de  pessoas que faturam mais de R$ 20 mil reais por mês com escritório em casa.  E como é na prestação de serviços, onde o dinheiro que entra é praticamente livre, quase todo este valor é lucro.
Em outros tipos de empreendimentos você não conseguirá de cara flexibilidade de horário, mas com um pouco de trabalho e organização é bem possível.

11 – Ganhar mais dinheiro

Nos primeiros meses de um negócio é bem possível que você ganhe menos do que no seu emprego. No entanto, se você fez o dever de casa, tem um bom plano de negócios e após alguns meses começará a colher os frutos do seu esforço.
Uma pequena empresa bem administrada deverá dar de lucro 15%, isso depois de retirar seu salário (o que é pró-labore), as despesas e pagar impostos.
Assim, além de você ter uma retirada suficiente para manter suas despesas ela deveria pagar 15% para a própria empresa crescer. Dinheiro este que de tempos em tempos você pode reaplicar no negócio ou retirar como forma de retirada de lucros.
Se tudo der certo você poderá ganhar muito mais em um negócio próprio do que em um emprego de carteira assinada.

12 – Fazer uma renda extra

Para algumas pessoas é aconselhado iniciar um negócio como uma renda extra, principalmente se você está empregado e depende da renda do emprego para sobreviver.
Iniciando um sem sair do emprego atual você não sente a pressão de ter que fazer o negócio  dar certo logo nos primeiros meses. Assim pode planejar a migração do emprego para o negócio próprio com calma.
Você poderia começar aos poucos, explorando algum passatempo, como por exemplo, fazer salgados em casa, fazer bombons ou sabonetes artesanais.
Outra opção é iniciar o negócio próprio com um funcionário de confiança, como um irmão, cônjuge ou um amigo.

13 – Viver mais emoções

Sem querer categorizar as pessoas. Se você é mais jovem e solteiro, certamente sabe do que estou falando. Esta vontade de ganhar o mundo, arriscar, conquistar a independência financeira. Um negócio próprio é uma boa opção de viver novas emoções.
Caso você tenha se identificado muito com este motivo para abrir um negócio, um conselho: vá com calma. Faça um plano de negócios antes.

14 – Usar sua criatividade

Ao se tornar seu próprio patrão você ganha mais responsabilidade, mas também muita liberdade para criar e testar ideias na sua empresa. A criatividade é uma das características desejadas no comportamento empreendedor.
Se você é muito criativo e deseja montar um negócio próprio para exercitar esta habilidade apenas tome o cuidado de não optar por comprar uma franquia. Você poderá ficar frustrado por não ter completa autonomia do negócio.


15 – Abrir um negócio pode ser mais fácil do que você imagina

Muitas vezes nossa preconcepção do que pode ser algo é muito pior do que realmente é. Nestes casos o nosso maior desafio é vencer nós mesmos e sair da inércia. Várias vezes nos pegamos pensando o quão doloroso vai ser fazer algo.
Quando realmente colocamos a mão na massa e terminamos notamos que foi muito mais fácil do que pensávamos.
Tem um ditado que gosto muito e que aprendi na época em que trabalhava no SEBRAE.
“as coisas não são difíceis de fazer, o difícil é nos dispormos a fazê-las” Constantin Bracusi.

16 – Pode ser muito lucrativo

Há uma chance de que sua empresa fique realmente grande. Muitas são as histórias de sucesso em que empresários começam com pouco capital e criam verdadeiros impérios.
Havia um tempo em que todo mundo reclamava da carga tributária e da burocracia. Hoje já melhorou bastante. Temos o sistema de impostos simplificado, o simples, temos a possibilidade de abrir um MEI sem sair de casa, pela internet.
Ainda tem muito o que melhorar, mas o “governo” também tem feito sua parte, afinal ele tem que fazer, pois os pequenos negócios são responsáveis por gerar 90% dos empregos e movimentam a economia. (Agencia Sebrae – 2013)

17 – Provar que você é capaz

Às vezes tem algo que precisamos provar para nós mesmos, uma coisa que gostaríamos de fazer mas ainda não fizemos. Uma ideia que fica na nossa mente como uma semente adormecida, até que chega o momento de nascer.
Ao abrir um negócio próprio você estará desafiando você mesmo a provar que é capaz de conduzir uma empresa, virar empresário.

18 – Não ter um chefe
Este pode ser um motivo para se iniciar um negócio próprio. No entanto saiba que o fato de não ter um chefe não significa que você não terá que seguir regras.
Falando de uma micro empresa você terá o contador te ligando para enviar as notas fiscais emitidas no mês. Você terá que pagar os funcionários e aluguel do ponto comercial, etc.
Mas no final para quem tem espírito empreendedor é muito melhor do que ter um chefe que não acompanha seu rítimo.



19 – Contribuir para o crescimento de algo que é seu

A própria maneira das pessoas falarem já diz tudo: “O Carlos agora está trabalhando para os outros…”. Quando você trabalha na ideia de alguém (empresa de alguém) você está gerando riqueza para ele  e não para você.
Você poderia criar algo só seu e gerar riqueza para você. Riqueza no sentido de que você paga todas as despesas e começa a economizar, isto é gerar riqueza. Não é ficar rico da noite para o dia.

20 – Porque a concorrência não é tão boa e você pode fazer melhor

A alguns dias passei em uma loja de informática e estava conversando com o proprietário e como algumas vezes eu não consigo deixar de dar um pitaco, dei umas sugestões para ele sobre seu negócio. Ele ouviu, adorou as sugestões, disse nossa, “como eu nunca pensei nisso antes”.
E foi só isso. Ele percebeu o quanto poderia aumentar as vendas (o que fazer) mas não perguntou como fazer. Ou seja, ele não vai colocar nada daquilo em prática.
Outras vezes chegamos em uma loja e percebemos o quanto o atendimento é ruim e mesmo assim a loja está no mercado a muito tempo e lotada de clientes. Em outras situações vemos um serviço e de cara percebemos o quanto ele poderia ser melhor.  Nestas horas sempre pensamos, “eu poderia abrir um negócio e fazer melhor”.

21 – Porque pode ser divertido

Levantar de manhã, ir trabalhar, conversar com clientes, idealizar como você poderia fazer o negócio render mais, gerenciar funcionários, tudo isso pode ser muito divertido. Legal mesmo é analisar os números do negócio e criar novas maneiras de atrair clientes.
Poucos pequenos empresários pensam desta maneira. Na maioria das vezes eles apenas vivem um dia atrás do outro sem perceber que os dias  você pode fazer algo que torne sua empresa melhor e se divertir com isso.

22 – Você poderá trabalhar junto com sua família

Montar um negócio pode ser uma oportunidade única de estar perto das pessoas que você gosta. Ensinar um filho como trabalhar, estar perto do marido ou esposa tudo isso pode ser muito bom. Uma verdadeira oportunidade para crescerem juntos.
Mesmo que em algum momento tenham algum problema típico de empresa familiar, no final será um grande aprendizado para todos.

23 – Deixar Sua Marca No Mundo

Esta pode ser uma das coisas mais difíceis de se fazer, mas se você acertar a mão poderá deixar uma empresa para depois que você não estiver mais aqui. Um legado para sua família e outros se lembrarem de quem foi você.

24 – Sair da Inércia, sair do ponto morto

Qualquer que seja o resultado você aprenderá mais do que não fazer nada.
“Insanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes”
Albert Einstein
Pense nisso!






25 – Pode ser sua melhor chance de ficar rico

No livro Os Axiomas de Zurique o autor diz que uma pessoa não ficará rica colocando dinheiro na poupança…
 “…Tampouco ficará rico através de salário. É impossível. A estrutura econômica mundial está montada contra você. Se um emprego for a base do seu sustento, o máximo que pode esperar é passar pela vida sem ter que mendigar um prato de comida. E nem isto é garantido.” Max Gunther.
Quando você está trabalhando está gerando riqueza para outra pessoa, porque não gerar riqueza para você?!
O fato é que se você for analisar os detalhes de cada possibilidade de ganhar dinheiro de verdade, abrir um negócio próprio, mesmo com as incertezas é uma das melhores chance de ficar rico.
Gostou do artigo? Clique em curtir ou comente abaixo!
DICA IMPORTANTE!

Independente do tipo de negócio que você deseja montar é muito importante fazer um planejamento. Contrate uma consultoria, estude em livros, escolha a opção que mais lhe agrada, apenas não arrisque suas economias em um chute!

Como montar um sacolão

Como montar um sacolão

Confira abaixo em nosso artigo como fazer para montar um sacolão em sua cidade
Quem não gostaria de comprar todos os artigos da feira, como frutas e legumes, ao mesmo preço? Essa é a ideia do sacolão, ramo de empreendimento que existe em diversas cidades do Brasil, mas não é tão popular na região Nordeste, onde a feira livre ainda é mais comum para a compra de frutas e verduras.Este modelo de empreendimento é bem antigo no país, surgiu nos anos 70 em Minas Gerais e foi se expandido para o Sul e Sudeste, tendo como base a negociação de frutas e verduras, itens que são mais em conta para fazer este tipo de negócio gerar lucro. A ideia é o cliente pagar o mesmo valor por tudo (ou valores mais baixos que o praticado em supermercados) e encher a sacola com o que quiser, por isso o nome sacolão.
Montar um sacolão é uma boa opção se for feito de forma a oferecer um produto de qualidade e que valha a pena para o cliente. Como são vendidos frutas e verduras, é importante que seja reabastecido todos os dias e tenha bons preços para compensar a ida do cliente a um local menor que um supermercado e com pagamento à vista, em dinheiro ou cartão de débito, o que já é uma desvantagem para muitos clientes que preferem abastecer a dispensa da residência com cartão de crédito.
Em geral, a montagem de um sacolão pode ser uma excelente forma de negócio, se for bem planejada e se os produtos a serem comprados gerarem um lucro para o dono do empreendimento. O ideal é que se mantenha os preços baixos sem comprometer o lucro por alimento, para assim ganhar clientes e poder gerar a sua renda mensal para investir em mais produtos com um volumoso capital de giro.

Passo a passo para montar um sacolão
O primeiro passo é saber quem são seus concorrentes diretos, que são os mais fortes: supermercados e feiras livres. Só é possível concorrer com uma grande rede de supermercado se valer a pena para o cliente, por isso a importância de frutas e verduras frescos, pois caso contrário a preferência é fazer o pagamento apenas no fim do mês. Para a dona de casa e até lanchonetes e restaurantes, o que importa é uma fruta fresca e de qualidade todos os dias, sendo neste ponto que o sacolão irá ganhar o cliente.
As feiras livres também são seus concorrentes diretos, que tendem a vender frutas, verduras e legumes frescos, mas não ocorrem todos os dias da semana. Por isso, tente manter-se abaixo do preço das mesmas, sempre fazendo uma pesquisa de preço para compensar o cliente pela ida ao seu estabelecimento.

Melhor ponto para montar um sacolão
Os sacolões geralmente são montados em bairros populares e mesmo nos de luxo, já que a classe média e alta também são adeptas em comprar em tais estabelecimentos. O sacolão deve ser próximo a uma região de moradias residenciais. Outra dica é optar por um local que tenha estacionamento ou uma rua que o permita estacionar próximo, para em caso de fazer grandes vendas ou de eventuais clientes se dirigindo para casa em veículos. Mesmo sendo um comércio bairrista, não se pode ignorar clientes que venham de carro.
A melhor maneira de se localizar é ficar no caminho entre a feira livre e a casa da maioria dos moradores do bairro. Opte por estar entre os dois para que se tenha que passar pelo seu ponto, uma forma de entrar em uma concorrência indireta e ao mesmo tempo fazer com que o cliente opte pelo seu estabelecimento sem perceber, por encurtar a distância das compras. Evite também a mesma rua de supermercados e pequenas quitandas.
O ideal é escolher pontos bem visíveis como ruas movimentadas, próximo a paradas de ônibus ou lojas do bairro como armarinhos e aviamentos, pequenas lojas de presentes, de forma que o local seja visitado também indiretamente por pessoas que já estão procurando o endereço para comprar algo.

Estrutura para montar um sacolão
Um sacolão se assemelha bastante a uma barraca de feira livre ou à área de venda de verduras de um supermercado. É preciso apenas balcões abertos, que podem ser em madeira, ou caixotes em plástico para acomodar os diferentes itens. Como a venda é feita geralmente por quilo, é preciso ter também uma balança de precisão de modelo especializado em pesagem de produtos. Há modelos que custam em média R$ 4 mil que fornecem ainda saída de etiqueta marcada com o valor para pagamento, mas este item é dispensável, uma simples já está de bom tamanho.
É preciso ter ainda sacolas para vendas das frutas e verduras. Uma dica é investir em sacolas reutilizáveis com o nome do seu estabelecimento para os clientes adeptos de produtos sustentáveis.

O investimento inicial de um sacolão
O valor a ser investido inicialmente vai depender do porte do empreendimento e da gama de produtos, ou seja, variedade de frutas e verduras que se vai comprar, além do tipo dos produtos, se comuns ou orgânicos. O ideal é que se tenha em mãos R$ 20 mil para aluguel do espaço, montagem do ambiente e investimento em produtos. Para um local que tenha mais de 50 metros quadrados, o capital inicial do sacolão pode dobrar de valor.

Produtos a serem vendidos no sacolão
Aqui se trabalha com o básico, que seriam frutas e verduras para consumo em geral. São itens básicos a serem vendidos em um sacolão: tomate, cebola, pepino, alho, alface, cenoura, beterraba, batata, pimentão, entre outros legumes e temperos. Em frutas, os mais vendidos são maçã, uva, banana, laranja, mamão, pêra, maracujá e manga. Estes são os básicos, mas nada impede que mais itens sejam vendidos, vai depender bastante do dono do empreendimento e do público.
Por isso, é bom para quem está neste ramo de negócios investir em atendimento ao público e ouvir os clientes para saber quais vegetais e frutas eles gostariam de ter como opção para compra. Além disso, dependendo do bairro onde esteja instalado o sacolão, o empreendedor pode investir em alimentos orgânicos e itens de culinária especiais ou importados, que são mais caros, mas geram um bom lucro.
O ideal é que se tenha fornecedores diários, para que os alimentos a serem vendidos estejam sempre frescos e com boa qualidade, mas caso não consiga desta forma, invista em fornecimento a cada dois dias com distribuidores diferentes para garantir sempre vegetais frescos, principalmente com as folhagens.

DICA IMPORTANTE!

Independente do tipo de negócio que você deseja montar é muito importante fazer um planejamento. Contrate uma consultoria, estude em livros, escolha a opção que mais lhe agrada, apenas não arrisque suas economias em um chute!

Máquina de gravar chaveiros

Máquina de gravar chaveiros

Já pensou trabalhar em casa usando umamáquina de gravar chaveiros? 
Dentre o universo dos brindes, existem os mais cotados e os menos cotados. Os menos usados, mas com público cativo são agendas, calendários, porta-moedas, camisetas. Os mais cotados e mais usados pelo público são os chaveiros. Quem não usa um chaveiro? O objeto serve tanto para guardar chaves como para ser colado em bolsas, sendo um ótimo objeto para se ter em casa e para dar aos clientes como propaganda de seu empreendimento. Por isso, é amplamente usado como ferramenta de marketing.
Quem quiser investir em um negócio em casa ou mesmo abrir uma loja de brindes, uma boa dica é fazer um investimento na compra de uma máquina para gravar chaveiros. Este maquinário não é dos mais caros, é bem fácil de ser comprado e também de fácil uso. O público para a venda de chaveiros hoje em dia é bem amplo, indo desde pessoas em geral como um artefato para uso pessoal como empresas, no caso de chaveiros como brindes de fim de ano, datas comemorativas ou campanhas publicitárias.

Como se usa uma máquina de fazer chaveiros?
Antes de explicar como se usa, é preciso dizer que a máquina de fazer chaveiros na verdade só faz a gravação. O proprietário pode comprar este maquinário pronto em lojas de todo o Brasil. Para usá-la, é preciso comprar chaveiros em grande quantidade e em diversos materiais e formatos com um valor bem inferior a R$ 1. Existem chaveiros que não passam de R$ 0,10 quando são comprados em quantidade de 100 itens ou mais.
Para ser feita a gravação, o chaveiro é comprado pronto e vem com um espaço onde a gravação será feita, sendo geralmente em plástico ou metal. Você encaixa o item na máquina, coloca a inscrição na parte de cima e ela já faz a gravação quando a alavanca é acionada para baixo, um trabalho bem manual. Existe este mesmo item em outras dimensões e de portes maiores, usados em fábricas de brinde. Uma máquina de gravar chaveiros a ser manuseada por uma só pessoa e com itens a serem confeccionados um a um cabe perfeitamente em uma mesa. É bem simples de ser usada e cada item leva menos de um minuto após a prática constante para ser elaborado.
Existem diversos tipos de máquinas de gravar chaveiros no mercado. Algumas são mais sofisticadas e usam resina para a fabricação do item, o mesmo material usado para a fabricação de moedas para premiação de eventos. A resina apenas protege uma inscrição de papel e derretida, é coloca de moeda por moeda ou chaveiro por chaveiro enquanto ainda está quente.

Lucro de uma máquina de fazer chaveiros
Contando com inscrição e preço do chaveiro, cada pequeno objeto deve custar em torno de R$ 0,50 para o comerciante e R$ 1 para o comprador, sendo um ganho de 100% por peça.

Valor de uma máquina de gravar chaveiros
Este produto em modelo simples poder ser comprado pelo valor de R$ 2.500 novo e R$ 1.500 usado em sites e lojas de todo o Brasil. Já o modelo que trabalha com resina derretida custa em média R$ 3 mil ou um pouco mais, não variando muito desta média.

DICA IMPORTANTE!

Independente do tipo de negócio que você deseja montar é muito importante fazer um planejamento. Contrate uma consultoria, estude em livros, escolha a opção que mais lhe agrada, apenas não arrisque suas economias em um chute!

Máquina de chocolate

Máquina de chocolate

Veja como funciona e como lucrar com uma máquina de chocolate.
 Chocolate é um doce atemporal. Ele não obedece a modismos, faixa etária e nem existe uma época ideal para comê-lo. Além disso, ainda existe a cultura de consumo de chocolate na Páscoa. Porém, nada impede que em outras épocas do ano ele seja comido e sempre é considerada a sobremesa ideal para qualquer evento, almoço ou jantar. Algumas pessoas fazem até lanche do chocolate. Por isso, investir em uma máquina de chocolate como negócio é uma ótima opção de geração de renda.
Você já deve ter visto uma máquina de chocolate por aí. Tal equipamento cabe em uma mesa e não passa de uma grande panela, em que misturando os ingredientes ela lhe dá chocolate líquido do mais saboroso, com a receita a seu gosto, mesmo a marca indicando um padrão de receita para obter maior lucro e melhor resultado. Todo fabricante sugere uma mistura, mas nada impede que você faça a sua própria receita.

O que é uma máquina de chocolate?
Uma máquina de chocolate é exatamente o que o seu nome sugere: um instrumento para fazer chocolate. Pode ficar a dúvida: por que não fazer em uma panela? Tais maquinários oferecem a possibilidade de fazer em qualquer lugar, inclusive trabalhar em casa, pois usam energia elétrica para o seu funcionamento, e também são pequenas e práticas em sua maioria, precisando apenas de uma mesa para se alojarem. Ocupam pouco espaço e podem ser usadas por diversas horas seguidas, com a única finalidade de fazer você aumentar seu lucro em produção.

Como funciona uma máquina de chocolate?
O equipamento produz chocolate que pode ser usado para a fabricação de barras, bombons ou outros formatos. As máquinas de chocolate mais comuns dão como resultado o chocolate líquido pronto para ser colocado em fôrma e ir para a geladeira. Ela faz a mistura dos ingredientes e já entrega o produto em alta temperatura. Daí em diante basta apenas despejar o líquido na embalagem e colocar para resfriar. Depois de endurecido, o chocolate está pronto para venda.
O maior uso da máquina de chocolate, entretanto, é para a venda de chocolate quente ou frutas com calda de chocolate. Em feiras e eventos é uma ótima pedida para venda de frutas, como espetinhos de uva com calda de chocolate. Em sorvetes e produtos gelados, o chocolate irá endurecer e formar uma calda grossa, como uma cobertura durinha. Ainda pode ser usado para acompanhar frutas caramelizadas ou como cobertura de outras sobremesas, como o crepe doce.
É muito simples operar uma máquina dessas, que funciona apenas com energia elétrica. É preciso apenas colocar os ingredientes básicos e observar que ela vai mexendo a mistura em temperatura média até que o chocolate se forme. Em sua maioria, elas possuem já um cabo para virar e colocar nas fôrmas, sendo ainda mais práticas.

Modelos de máquina de chocolate no mercado
Todos os modelos de máquina de chocolate de cozinha funcionam da mesma forma, mas com algumas variantes de modelo. Alguns são como uma grande panela móvel em que se pode tirar como um recipiente ou uma concha para colocar nas fôrmas o líquido pronto. Outros são bem visuais, feitos para serem usados em aberto, as máquinas de chocolate de cascata. Estas ficam na mesa como uma pequena cascata d’água. São bem visuais e por isso, são os modelos indicados para quem for trabalhar em eventos como feiras livres e em pontos fixos. São ótimas também para chamar a atenção dos clientes, uma ação de marketing visual bem eficiente para incrementar a renda.

Preço de uma máquina de chocolate
O valor de uma máquina de chocolate no mercado é de em média R$ 1.500, um produto novo. O mesmo item pode ser comprado em bom estado usado por em média R$ 500.
O que acha de começar o seu negócio próprio com uma máquina de chocolate?

DICA IMPORTANTE!

Independente do tipo de negócio que você deseja montar é muito importante fazer um planejamento. Contrate uma consultoria, estude em livros, escolha a opção que mais lhe agrada, apenas não arrisque suas economias em um chute!